E se não sentíssemos nada?

Seria possível a existência de uma sociedade perfeita em que não sentíssemos nada? A ideia de não sentirmos nada foi adotada pelo filme “The Givers” com o título em português “O doador de memórias”. Baseado no livro "O Doador" (1993) de Lois Lowry, traz uma sociedade utópica, sem guerras, doenças ou tristezas. O objetivo deste... Continuar Lendo →

Dos sentimentos que não falamos

Olhar para si pode ser assustador. É mais fácil seguir a vida sem conhecer a si mesmo. Diante de uma frase dita entre prantos “tenho medo de ficar fria e seca”, foi possível perceber que naquela voz não havia frieza ou vazio. Era apenas uma alma se afundando em angústia por não encontrar outras almas... Continuar Lendo →

Pelos olhos de Maise

O conturbado conflito entre os pais visto pelos olhos de uma criança. Vivemos em uma sociedade em que os divórcios têm sido cada vez mais freqüentes. É comum vermos muitos casais não tolerarem mais um ao outro. Eles se perdem entre si, fazem da parceria uma solidão compartilhada, muitas vezes preenchida por egoísmo, rancor e... Continuar Lendo →

Cake – Uma razão para viver

A Depressão e a perda da razão de viver. Todos nós precisamos de algo que nos motive, que nos faça estar em busca. É por isso que seguimos a vida, porque temos algo pelo que seguir / lutar. A insatisfação em sempre buscar algo mais, não é necessariamente algo negativo se soubermos olhar por outro... Continuar Lendo →

A morte e o trágico

Somos frágeis, não somos eternos. É com esta frase que começo este texto. Ficamos consternados ao sabermos de uma morte trágica, um acidente que tira a vida em questão de segundos, num tropeço, num sufoco, numa paralisia... algo que por um segundo nos mostra o quanto somos frágeis. Quanto mais próximo de nós, mais ficamos... Continuar Lendo →

Somos Humanos Imperfeitos

Não existe perfeição, bondade extrema. Construímos uma máscara e nela escondemos quem realmente somos, o que pensamos e o que sentimos. Nós magoamos e somos magoados. Temos dias bons e dias ruins. Acertamos nas palavras, mas também erramos feio com o que dizemos e fazemos. Somos honestos quando nos expressamos da alma, mas somos hipócritas... Continuar Lendo →

O Adoecer: quando realmente somos sinceros

A doença nos coloca de frente com nossa própria fragilidade, com nossa finitude.  Entrar em contato com essas questões nos causa inquietação, angústia e medo. Vivemos adiando, procrastinando e agindo como se fôssemos viver para sempre. Bem, não vamos. Todos nós sabemos que um dia partiremos e que em algum momento perderemos alguém que amamos,... Continuar Lendo →

O pequeno manual da boa morte

“A morte é uma viagem e a viagem é uma morte. Partir é morrer um pouco. Morrer é verdadeiramente partir, e só se parte bem, corajosamente, nitidamente, quando se segue o fluir da água, a corrente do largo rio. Todos os rios desembocam no Rio dos Mortos. Apenas essa morte é fabulosa. Apenas essa partida... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑