O psicólogo no pronto socorro

“A escrita da vida é um livro sem rascunho
e sem ensaio. Vive-se uma vez só, de forma linear,
tudo é continuidade”
(Vera Bifulco e Ricardo Caponero)

 

fotohospital
No hospital, o objetivo no pronto-socorro é a estabilização das funções vitais do paciente e alívio da dor. Neste momento, os objetivos a longo prazo ficam em segundo plano. Intervenções de cura da doença ou o tratamento dos aspectos psicológicos a ela relacionados, serão realizados após a estabilização do paciente. Quando a equipe solicita o atendimento psicológico, os riscos imediatos já foram controlados. Neste ambiente é muito comum o psicólogo ser solicitado para o atendimento de pacientes com crise de ansiedade ou suicídio.
O psicólogo auxiliará o paciente e a família no processo de internação, atuando com o intuito de diminuição da ansiedade e angústia presentes neste momento, buscando alívio emocional. É preciso também avaliar como a doença é compreendida pelo paciente, observando os limites entre o real e o imaginário, e as fantasias presentes no processo de adoecimento. É preciso lembrar que cada paciente tem sua história pessoal e vivenciará este momento de forma singular. Por isso, é importante compreender a partir da subjetividade do paciente (SEBASTIANI, 2008).
Logo, o paciente, ao ser acolhido e aceito, poderá sentir-se mais seguro, enfrentando o adoecimento e a hospitalização de forma mais adequada e saudável.
No hospital, o psicólogo atuará com o paciente, com a família e com a equipe de saúde. Neste contexto, o psicólogo vai até o paciente, proporcionando um espaço para que ele possa falar de si e da doença, trazendo seus medos e fantasias, visando o alívio do seu sofrimento.
De acordo com Lima Gonçalves (1983), é necessário conhecer o hospital como campo assistencial para a restauração da saúde, prevenção de doenças, além de ser um meio para o desenvolvimento de pesquisas e ensino em todas as atividades relacionadas com a saúde. Com relação ao psicólogo, sua atuação está centrada na promoção, prevenção e recuperação do bem-estar do paciente, buscando sua recuperação e reintegração junto à família, ao trabalho e a sociedade, apesar de que, muitas vezes, atuará no suporte a situações em que a recuperação não é possível.

 

 

Suzanne Leal
Psicóloga
@amplapsicologia
Fb.com/amplapsicologia
Http://amplapsi.com

 

Foto: Google Imagens

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: