As distorções cognitivas mais comuns na ansiedade


A mente muitas vezes age como nosso pior inimigo. Conhecer os mecanismos que usa para aumentar o pensamento ansioso pode nos ajudar a gerenciar esses estados um pouco melhor e ter mais controle sobre esse universo mental.


As distorções cognitivas mais comuns na ansiedade têm um objetivo muito claro: intensificar o sofrimento. A mente está presa em padrões de pensamento rígidos e negativos que agem como uma armadilha, de areia movediça em que a razão, a lógica e o equilíbrio interno afundam. O mundo está se tornando ameaçador e todos os problemas, não importa quão pequenos, não têm solução.

Embora esses tipos de dinâmica psicológica sejam característicos de condições como ansiedade ou depressão, deve-se notar que todos usamos distorções cognitivas a qualquer momento. Todos nós já aplicamos, por exemplo, um raciocínio emocional que leva a ideias como”se no momento eu me sinto desajeitado e incompetente é porque sou incompetente”.

Mas além do fato de que nossa mente tem tratado certas coisas de uma forma que é errada e prejudicial para nós mesmos, passamos a maior parte do tempo tentando manter o controle. Quando analisamos a realidade com mais calma, optamos por usar atitudes um pouco mais realistas (e amigáveis).

No entanto, o problema vem quando não é possível para nós, quando as emoções não nos acompanham. As dificuldades externas são muito complexas e nossos recursos psicológicos são mínimos. Nestas circunstâncias, é fácil acabar constantemente alimentando essas distorções negativas drenantes.

Identificá-los, saber como eles agem e como enfraquecê-los é a melhor estratégia que podemos aprender. Nosso bem-estar será grato.

“Eu não posso suportar isso, é insuportável, eu vou enlouquecer”, “Eu sou inútil”, “Não há nada que eu possa fazer.” Esse tipo de raciocínio gera um tipo de névoa mental na qual apenas angústia e infelicidade podem ser respiradas. Se você constantemente reforçar esses tipos de abordagens, o burnout será imenso.

Distorções cognitivas são essencialmente truques da mente, maneiras sistemáticas em que as pessoas distorcem informações sobre o meio ambiente, o que acontece conosco e o que vemos. Se nos perguntarmos por que usamos esse tipo de mecanismo, a resposta é mais complexa do que parece. Às vezes é por causa de um sistema de feedback entre emoções e pensamentos em si.

Eu me sinto mal e então eu acho que coisas negativas e esses pensamentos alimentam ainda mais meu desconforto. Outras vezes, distorções cognitivas são padrões que quase sempre usamos sem perceber. Uma educação complicada ou pais não adoráveis muitas vezes nos levam a interpretar as coisas de maneiras exaustivas. Se nossa autoestima também é baixa, é fácil nos encontrarmos nesse tipo de armadilhas mentais.

Então descubra conosco quais são as distorções cognitivas mais comuns da ansiedade.

Catastrófico
Pense no pior para estar preparado. Assumimos que esta é uma boa estratégia quando, na realidade, tudo o que temos é aumentar nossa ansiedade de forma devastadora.

Você diz para si mesmo coisas como: “Se eu falhar neste exame, eu já posso desistir da minha carreira, então é melhor começar a assumir que sou inútil” ou “dado o que está acontecendo, é claro que as coisas vão piorar e ninguém vai ter um emprego” são exemplos dessa distorção cognitiva comum.

Pensamento dicotoso ou polarizado
Qualquer raciocínio que comece com as palavras “sempre”, “nunca”, “tudo” ou “nada” aplica um pensamento polarizado. Estas são as formas de lidar com a realidade em que tudo é bom ou ruim, onde você está comigo ou contra mim, onde eu consigo o que quero ou afundo porque sou inútil. Essa forma de atribuir tal valor extremo às coisas sem base comum é outra forma muito marcante de sofrimento.

Abstração seletiva
Às vezes nossa atenção tem uma tendência incomum e distorcida: ver o lado negativo da vida em cada situação. A abstração seletiva é uma das distorções cognitivas mais comuns da ansiedade. Isso acontece quando nos encontramos apenas com a realidade mais sombria, quando interpretamos as coisas da maneira mais prejudicial para nós mesmos.

Um exemplo desse pensamento seria: “Convidei todos os meus colegas de escritório para o meu aniversário e Claudia é a única que não veio. Ela certamente me odeia e os outros estão aqui apenas por obrigação”.

Personalização, uma das distorções cognitivas mais comuns da ansiedade
“Se meu chefe está discutindo com alguém no escritório, será por causa de algo que eu fiz.” “Se o caixa me tratar rudemente, será porque eu tendem a não gostar de pessoas”, “no trabalho, minha apresentação hoje foi um desastre, e certamente será o caso do seguinte porque eu sou inútil”.

Esse tipo de raciocínio é resultado desse diálogo interno negativo no qual personalizamos todos os fatos que vemos. Como se tudo fosse nossa responsabilidade ou se fosse tudo culpa nossa.

Inferência arbitrária, a suposição errada em você
A ansiedade tem uma tendência: nos fazer acreditar que somos o Oráculo de Delfos. Assumimos e aceitamos um grande número de situações. Os mais comuns são:

Achamos que sabemos o que as outras pessoas pensam de nós. Tanto que nossa mente continua nos torturando com ideias como “ele acha que eu nunca vou conseguir, ele não me ama, o que ele sente é vergonha…”.
Da mesma forma, também é comum cometer esse erro de “prever o futuro”, pensar que um falhará e que nada vai dar certo.


Em conclusão, saber quais são as distorções cognitivas mais comuns da ansiedade pode nos permitir duas coisas. Primeiro, detectar esses padrões de pensamento que alimentam o desconforto. Então, para entender como amente humana funciona e como, se ela não a controla e não estabelece limites, pode se tornar nosso pior inimigo.

Vamos aprender a cuidar disso. Vê-lo como este jardim em que apenas pensamentos que ajudam, motivam, que nos fazem sentir como seres preciosos podem germinar.

Fonte: https://nospensees.fr/
Imagens PixaBay

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s