Você não pode voltar depois de abrir os olhos

Existem feridas que, em vez de abrir a pele, abrem os olhos. Quando isso acontece, não há outra opção senão pegar os pedaços quebrados da nossa felicidade perdida para restaurar nossa própria dignidade. Uma autoestima necessária para avançar com a cabeça alta e o olhar firme, sem olhar para trás, sem implorar por realidades impossíveis...... Continuar Lendo →

Transtorno da dor: o que é, causas, sintomas e tratamento

Os distúrbios somatomórficos envolvem uma série de sintomas físicos que não são explicados por nenhuma doença médica. Além disso, eles têm a característica de que há vários fatores psicológicos básicos relacionados ao seu início, manutenção ou exacerbação. Neste artigo vamos conhecer um desses distúrbios: distúrbio da dor, em que o principal sintoma é dor intensa... Continuar Lendo →

O luto e a não empatia

"Não fique triste, não chore, isso vai passar" Essa é a frase mais comum que ouvimos alguém dizer quando alguém está triste. Sabemos que a dor ameniza, que conseguimos voltar a sorrir e a dar continuidade a vida. Mas para a ferida sarar é preciso doer, sangrar... para superarmos o luto, precisamos vivenciá-lo, viver cada... Continuar Lendo →

O rancor e o luto

Passamos a vida falando mais de raiva do que de amor; apontando e criticando, mais do que elogiando; falando do outro, mais do que falando com o outro. Há muito tempo escuto (e cada vez mais tenho certeza) que só temos o presente e que esta devia ser nossa filosofia de vida, viver o presente.... Continuar Lendo →

Fora do lugar

O sentimento de não pertencimento é um dos sentimentos que mais nos angustiam… sentir que não pertencemos a este lugar, a estas pessoas, a estas coisas… nos tira o ar. E dia a dia acordamos sufocados, enraizando cada vez mais a nossa alma. Perdemos a nós mesmos e quando nos damos conta, entramos no automático... Continuar Lendo →

Como fechar um ciclo emocional

Os seres humanos tendem a experimentar o que nos rodeia como se fosse uma narrativa. Gostamos de ver as coisas interpretando-as como se fossem histórias: não fixa e imóvel, mas algo fluido e em movimento. Nossa própria identidade, sem ir mais longe, é um conjunto de memórias sobre nós mesmos que estamos inconscientemente encorajando a... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑